Seja muito bem-vindo caro(a) visitante !!

O JARDIM SECRETO DE CADA UM.

Há dentro de todos nós essa necessidade de ter em algum lugar nosso jardim secreto, não onde vamos confinar nossos segredos, mas onde podemos ter um encontro real e exclusivo conosco. © Letícia Thompson

CUIDE DE SEU JARDIM "Não corra atrás das borboletas. Cuide de seu jardim e elas virão até você!Se passarmos todo o tempo desejando as borboletas e reclamando porque elas não se aproximam da gente, mas vivem no jardim do nosso vizinho, elas realmente não virão. Mas, se dedicarmos a cuidar do nosso jardim, a transformar o nosso espaço, a nossa vida, num ambiente agradável, perfumado e bonito, será inevitável... As borboletas virão até a nós... Dê o que você tem de melhor e a vida lhe retribuirá. "

terça-feira, 26 de abril de 2011

Terrários



Mas afinal o que é um terrário?

Trata-se de um recipiente aberto ou fechado, onde cultivamos algumas espécies de plantas, simulando o seu ambiente natural!

Um terrário fechado apresenta, a uma micro-escala, o nosso meio ambiente, constituído por solo, água, ar, luz e seres vivos. Surge como um mini-planeta :)

Por isso, fazer um terrário é uma experiência muito interessante e divertida.

Além disso, permite-nos observar fenómenos da natureza, como o ciclo da água (só possível de ser observado em terrários fechados).

Como se dá o ciclo da água num terrário fechado?

Quando a temperatura aumenta, a água que foi colocada uma única vez no terrário, juntamente com a água proveniente da transpiração das plantas, evapora-se e dá origem a uma enorme concentração de vapor.

A atmosfera, criada pelo terrário fechado, não consegue absorver todo o vapor e quando este encosta na parede do recipiente, que está a uma temperatura mais baixa, condensa (transforma-se em gotículas que se depositam no tecto e nas paredes do terrário).

E o que acontece quando a humidade atinge um elevado estado de saturação?
Chove no terrário!

As gotículas precipitam-se para o solo, molhando de novo a terra. E reinicia-se o ciclo da água.

Um terrário também nos ajuda a perceber melhor, e de uma forma fácil, como funciona a camada de ozono. Essa tarefa é desempenhada pela tampa do recipiente. Sem ela, o vapor perder-se-ia no espaço. Não haveria o fenónemo das "chuvas" e nem existiria o ciclo da água.

Como fazer um terrário?

Primeiro temos de arranjar um recipiente transparente e prepará-lo para receber as espécies. A seguir deve-se:

• Lavar o recipiente com água e detergente, para eliminar todos os resíduos.

• Desinfectá-lo bem com álcool, para evitar que nasçam fungos ou bactérias, que possam alterar o equilíbrio do ambiente interno.

Logo que o nosso recipiente esteja bem limpo e seco:

1. Colocamos uma primeira camada de pedrinhas no fundo.

2. Depois uma segunda camada de carvão vegetal, areia ou casca de pinheiro.

3. Por fim, uma terceira camada de terra (as três camadas representam, de maneira simplificada, as condições ideais do solo - a terra serve para nutrir, o carvão vegetal para absorver os gases libertados, e as pedrinhas para drenar a água).

4. Fazemos um pequeno buraco na terra e colocamos a planta, tendo o cuidado de escolher espécies que gostem de água. A planta deve ser pequena para poder desenvolver-se (o ideal é escolherem-se pequenas mudas de plantas já com raiz).

5. Repomos a terra retirada ao redor da planta.

6. Regamos o terrário cuidadosamente e tapamo-lo.

7. Colocamos o nosso terrário num local que tenha claridade média (nunca directamente à luz do sol).


Algumas dicas úteis:

• Devem usar-se plantas numa medida proporcional ao tamanho do terrário. É necessário encontrar um ponto de equilíbrio ecológico.

• Se uma espécie vegetal começar a murchar, é sinal de que não está a adaptar-se ao microssistema. Nestas circunstâncias, deve ser devolvida ao seu meio natural.

• A vida útil do terrário pode chegar a um ano ou mais. Porém, há um cuidado básico a ter em conta: ele deve ser aberto a cada uma ou duas semanas (por um período mais ou menos de 2 horas) para que as plantas recebam alguma brisa.

• Uma vez regado o terrário, o ciclo da água inicia-se. Se o recipiente estiver muito encharcado (o vidro pode ficar muito embaciado). Devemos abri-lo por algumas horas para secar e depois fechá-lo novamente. Se a transpiração não estiver a ocorrer (sem gotículas no vidro), devemos regá-lo com um pouquinho de água! Mas atenção, é só um pouquinho!

• Já que as plantas num terrário não têm muito espaço para crescer, não é necessário adubá-las. Conforme as plantas forem crescendo, terão de ser podadas cuidadosamente, utilizando para tal uma tesoura pequena.

• Na criação do nosso terrário, nada nos impede de dar asas à nossa imaginação. Podemos decorá-lo com pedras, conchas, musgo, paus, etc... O nosso terrário não só ficará mais bonito, como espelhará, a uma micro-escala, a Mãe Natureza.




Coloquei alguma gravilha no fundo do recipiente. 
Depois uma camada de carvão vegetal, partido aos pedaços.

E, por último, uma camada de terra. Aqui coloquei-a de forma irregular para tentar criar um ambiente o mais natural possível.

A seguir, fiz 2 buraquinhos na terra e enterrei a raiz das minhas duas plantinhas (cá está a mão do P. para se perceber bem o tamanho). Com um borrifador humedeci a terra. 

Para criar um ambiente paisagístico mais interessante, adornei o espaço à volta com musgo, uma pedrinha e um pauzinho. Voltei de novo a borrifar com água o musgo.

E aqui está o resultado final.

Já dentro de casa, e sob as luzes, o ambiente era este.


3 comentários:

Vanessa disse...

Ótima postagem. Não conhecia os terrários. Agora quero fazer um para deixar no meu quarto. São lindinhos demais!

Parabéns

L. Maria disse...

mas se o terrario se mantém, como eu sei se devo secar o vidro ou se devo deixa-lo humido devido o ciclo da agua?

Dany Rocker disse...

Oi! Amei seu blog
quero fazer um terrario fechado aqui em casa, e ele irá simular um ambiente úmido.
Tenho 2 perguntas: animais (como minhocas) podem sobreviver num terrario fechado? Quais tipos de plantas posso colocar ?
Prefiro uma com crescimento vertical. É que disponho de um vidro de maionese, com uns 15 cm. Acredito que a planta possa ter um crescimento maximo de 6 cm. Escolhi crescimento vertical porque ela não terá por onde se espalhar no pote estreito, motivo pelo qual não poderei colocar muitas especies. Talvez umas 2....
vc pode me ajudar?

No meu arquivo, você encontrará matérias de sites e blogs
que ensinam a como cuidar da natureza.
Se você assim como eu, deseja aprender, é só clicar nos ítens abaixo.

Leia no meu arquivo.

Obrigada pela visita .Volte sempre ao meu paraiso. Rejane

Floresça!
No principio da vida todos são iniciados como sementes...Quando o primeiro broto surge, o Mundo é apresentado a ele...e muitas vezes os brotos se perguntam: "Como brotei?"Outros nem sequer se dão conta.Vivencie o broto do momento...Flua nesse brotar...Cultive com amor o seu território, não deixe as ervas daninhas, construídas de sua própria ilusão, interferirem no seu crescimento...Vivencie este crescimento...Assim você será uma bonita árvore cheia de sabedoria e amor a oferecer...Sinta a necessidade do coração e vá em frente escalando a divindade do seu Ser...Acredite, o supremo mora em vc...Brote! Cresça! Sinta se você está crescendo no caminho certo, identifique, faça o movimento verdadeiro para que sua árvore não mingue. Florescer na vida é florescer no hoje, no agora e no amanhã! Floresça a sua vida, simplesmente floresça!
(Fênix Faustine)
"Sei que é nos sonhos que os jardins existem, antes de existirem do lado de fora. " Rubem Alves

"Eu acho que Deus, ao criar o universo, pensava numa única palavra: Jardim! Jardim é a imagem de beleza, harmonia, amor, felicidade. Se me fosse dado dizer uma última palavra, uma única palavra, Jardim seria a palavra que eu diria." Rubem Alves

221l

Casa , natureza e amor.Tudo que precisamos para ser feliz.

Rejane